Manas Poderosas: Leyla Buk

Conheci o trabalho da Leyla Buk final do ano passado. Fiquei encantada por suas peças e seus trabalhos lindos e logo a segui em suas redes sociais. Quando idealizei este projeto, seu nome me veio a mente já no começo.

Acabou que para conhecê-la melhor, fiz algumas perguntas e suas respostas ficaram no estilo “entrevista” e por conta disso, colocarei as informações neste formato.

Blog Doce Estranheza (B.D.E.):O seu nome é Leyla Buk mesmo?
Leyla Buk: O Leyla é meu mesmo,rs. O Buk eu passei a usar porque era assim que uns amigos me chamavam um tempinho atrás e é por causa do Charles Bukowski, que eu lia muito.

B.D.E.: Quantos anos você tem?
Leyla Buk: 26 anos.

B.D.E.: De onde vc é?
Leyla Buk: Sou de Recife, Pernambuco.

B.D.E.: Desde quando vc faz as Dolls?
Leyla Buk: Faço as dolls há um ano. Comecei em maio do ano passado (no caso, 2016).

B.D.E.: É tudo você que faz?
Leyla Buk: Sim, faço tudo eu mesma.

B.D.E.: Como é o processo de criação?
Leyla Buk: Tudo é por partes. Trabalho em várias peças ao mesmo tempo. Descanso de uma trabalhando em outra. Com as dolls ou qualquer escultura que faço, aprendi que a melhor forma de fazer as coisas é por etapa. É como funciona melhor pra mim. O que pode acabar levando muito tempo pra ficar pronto. Muitas vezes nada leva a lugar nenhum então é preciso recomeçar. Não gosto de levar muito tempo em uma peça, porém gosto de detalhes, de dar o que posso pra torná-la perfeita aos meus olhos. Levando em consideração que ainda estou aprendendo, descobrindo e experimentando. Trabalhar em várias peças me ajuda muito. Tenho aprendido a ter mais paciência, a amar cada momento. Isso tem sido terapêutico e, embora eu perca o sono às vezes por causa da ansiedade, tem me ensinado muito.

B.D.E.: Uma curiosidade: as suas dolls são todas iguais, você as faz com molde?                                                      Leyla Buk: Não tem molde. Talvez devesse. Isso facilitaria as coisas, seria tudo mais rápido também. Mas, no momento, estou feliz com tudo sendo da forma que é. De cada peça ser única e, embora fazendo a mesma personagem muitas vezes, cada uma é diferente da outra. Isso torna tudo único.

B.D.E.: Qual foi/é a sua inspiração?
Leyla Buk: Muita coisa me inspira. Principalmente, a força feminina. O macabro, o sombrio, a morte, a solidão, a era vitoriana, a beleza. Eu mesma, minhas escuridões, confusões, contradições. Pessoas à minha volta, amigos, conhecidos, personagens, minha família. Abraço tudo o que me emociona, o que fala comigo intensamente, não importa o que eu esteja fazendo.

B.D.E.: Quais os seus contatos para quem quiser comprar com você?
Leyla Buk: Quem quiser adquirir alguma peça minha ou encomendar, pode entrar em contato pela minha página no Facebook (Leyla Buk Art), por direct no Instagram (leylabuk), pelo email bukleyla@gmail.com ou ficar de olho na loja online da Mondo Cult (loja mondo cult), que de vez em quando disponibilizamos algumas peças à pronta entrega por lá. Mas a maneira mais eficaz (e a minha preferida, por ser mais pessoal e poder conversar e combinar tudo com a pessoa) é mandando mensagem diretamente pra mim Facebook pessoal.

É difícil escolher entre os personagens para mostrar para vocês, mas separei os meus preferidos, Vem conferir: 

 

João Rock 2017 : ACMA

O tema deste mês do ACMA (A Cultura Mora Aqui) é Festas, Festejos e Festividades. E como o festival João Rock que acontece em Ribeirão Preto foi final de semana (10/06), vou aproveitar para falar sobre ele.

É o segundo ano consecutivo que vou no festival e curto muuuuito. A vibe, as pessoas, os artistas, tudo te faz sentir bem, te faz querer voltar, te faz respirar rock’nroll sabe? Ano que vem, pretendo voltar!!

O festival acontece desde 2002 e cada ano está maior. Este ano o João Rock atingiu 50 mil pessoas no festival( lotadaço!!!).

São três palcos espalhados no parque permanente de exposição de Ribeirão Preto: o palco João Rock, o palco Brasil e o palco Fortalecendo a Cena. Em cada palco acontece um show simultâneo, é só escolher o artista que você quer assistir e ir onde está rolando o show.

Além desses palcos, há outras coisas rolando também. Nos dois anos havia a pista de skate com o Sandro Dias ( ele é super simpático, consegui tirar foto com ele). E sempre tem uma atração radical pra quem gosta, ano passado foi bungee jump e neste havia um balão.

Eu assisti o show do Zé Ramalho, Humberto Gessinger, CPM 22, Pitty, Capital Inicial e Emicida e convidados.

Em relação á fotos, foi complicado. Não consegui tirar muitas; muitas pessoas e o meu celular não é grande coisa pra isso.

Para quem é blogueiro/youtuber e quiser participar de projetos do ACMA é só mandar e-mail para acma.cultura@gmail.com.

Espero vocês ano que vem no maior festival de rock do Estado de SP

 

Manas Poderosas: Movimento Ela’s

Não tem como fazer este projeto sem falar sobre o Movimento Ela’s.  Descobri o movimento quando ele estava no final da sua primeira edição e fiquei encantada. Sou dessas que fico orgulhosa quando vê mulheres lançando projetos, principalmente quando este tipo de projeto acontece em cidades do interior, como neste caso.

Foto Reprodução

O Movimento:

O Movimento Ela’s foi lançado em 18 de Fevereiro de 2016 na cidade de Itatiba-SP. O programa têm três mulheres como fundadoras; Rafaela Camargo (coordenadora e fundadora), Erica Rodrigues ( orientadora da área de Desenvolvimento Humano) e Carolina Silva (orientadora da área administrativa).

Objetivo: 

O objetivo deste movimento é resgatar e fortalecer a autoestima, os valores e a autonomia  através do Programa de Empreendedorismo Social que auxilia quem gostaria de abrir um negócio além de proporcionar orientações para o desenvolvimento e o crescimento do mesmo.

Como funciona:

Os dois primeiros ciclos do Movimento foram gratuitos, no entanto, este terceiro ciclo está diferente.

Serão onze encontros, uma vez por semana com duração de três horas cada. Além dos encontros de orientações, haverá uma oficina de  formalização oferecida pelo parceiro Sebrae; um encontro de networking com convidados onde as empresas participantes do programa são destaque; um evento de encerramento e entrega de certificados.

O valor é um pouco mais de R$50,00 por encontro. Forma de pagamento e valores oficiais, é só entrar em contato.

Contato:

Facebook Movimento Ela’s

Foto Reprodução
Foto Reprodução
Foto Reprodução

 

Foto Reprodução